Quando o Mengão fatura um título além de vermos o time do establishment, da Globo e da Sandra de Sá sendo campeão, ainda temos que aguentar os memes rubro-negros. “Morde as Costas”, “Nem cavalo aguenta!”, “Habib És”, “Hoje tem gol do Gabigol”, e outras mumunhas mais, que tornam a tragédia ainda maior. Não temos vacina, não temos emprego, mas temos memes. Memes para dar e vender.

Veja bem, o Inter campeão seria um grande problema para Gremistas, apenas e tão somente. Quem morasse distante do Rio Guaíba não sofreria tanta encheção de saco e tudo se encaminharia para a normalidade em poucos dias. Quando somos crianças nossas mães guerreiras nos instruem docemente dizendo que não se pode ter tudo na vida. É para momenntos como esse.

O título do Fla coroa aquele que sempre foi o melhor time do campeonato. Oras, em algum momento vocês acreditaram que os MENINOS DO DINIZ, a turma do Abelão e a rapaziada do Sampaoli estavam acima de Arrascaeta, Gabigol, Filipe Luís, Gérson e Bruno Henrique?, eu, particularmente, não. Claro que a chegada do técnico Domecq e posteriormente Rogério Ceni, deram esperanças para nós, cidadãos de bem, anti-flamenguistas, mas o time da Gávea teria que fazer um esforço sobre-humano para perder esse título. Quase conseguiu, principalmente quando caiu no golpe de Vitinho, Pedro Queixada e Diego.

Chegaram a falar que Pedro era melhor que Lewandowski, para se ter uma ideia do quanto vestir o MANTO SAGRADO faz a turma toda pirar. É também a primeira vez na história que um time é campeão nacional jogando sem goleiro. Não é pouca coisa. Sem técnico, sem goleiro, mas, claro, com aquela benevolência dos árbitros. No Morumbi, não deram um pênalti claro de Isla, por exemplo. No Beira-Rio, para além da incompetência Colorada, o apitador também preferiu voltar atrás num penal marcado.

Claro que não ganhar do Corinthians-Zolpidem nessa temporada é digno de nota, mas se você olha para o seu banco de reservas e vê que Tiagalhardo pode te salvar, as notícias não são boas. No final do jogo em Porto Alegre, quem armava o jogo era o cerebral Victor Cuesta, cuja habilidade com a bola lembra muito a de Diana Ross chutando um pênalti na abertura da Copa de 94.

Bola de Ouro, Copa do Brasil, Estaduais

Claudinho levou a Bola de Ouro do Brasileirão. Trata-se de um bom jogador, sem sombra de dúvidas, mas eu duvido que receberia tantas notas boas se não jogasse na franquia do time dos energéticos feitos a base de bago de boi. Todo mundo quer que o Bragantino dê certo, modelo europeu, trabalho de longo prazo, clube-empresa e essas ladainhas que empolgam bobos. Como o resultado não veio no campo, ainda, pelo menos o atacante foi recompensado.

Se não fosse Claudinho quem seria? Edenílson, Luciano, Pepê, Gustavo Gómez, Marinho Memes, Gabigol, Bruno Henrique, Gérson. Todos melhores que o pequeno Cláudio.

Na primeira decisão da Copa do Brasil deu Palmeiras. O Verdão sabendo da restrição territorial da competição sobrou em campo na Arena do Grêmio. Tem tudo para levar mais um caneco em seus domínios. O único ponto negativo do time paulista foi realmente a escalação de Luan, que mostrou ser gremista desde criancinha ao socar Diego Souza na lateral do campo e ser expulso. Renato Gaúcho falou muito do árbitro, de um pênalti no primeiro tempo, mas se esqueceu de agradecer ao zagueiro palestrino, que foi mais efetivo que todo o time do Imortal.

Os estaduais começaram com tudo e o São Paulo, com nada. Obviamente o Tricolor do Morumbi já passou uma pequena vergonha no início do certame ao empatar com o Botafogo de Ribeirão Preto, até minha Tia Hilda sabe que não dá para jogar no 3-5-2 se você não tem um triunvirato de zagueiros minimamente competente. No afã de agradar Muricy Ramalho, Hernán Crespo começou mal. Ao que parece, o Tricolor Paulista baterá recorde de risadas arrancadas por mais um ano.